Memórias Draconianas

The Hole of the Drag-King

Mestre Raposo Logger: Bhering Presentes: Balbi, Bhering, Cebola, Fernando, Heitor e Vicente

A fuga de Leon

Noite do 16º dia do 2º mês do ano X.

Leon sai casa de Theodor dançando pela chuva, feliz de estar vivo, Deixa as salamandras na porta da caserna, cuspindo fogo de raiva.

Segue em direção ao observatório e, apos usuais inspeções, deita-se para descansar. Acorda com o som de passos e se posiciona atrás da porta, quando é chamado por Layla, carregando consigo o corpo de seu filho Tuco. Leon não crê, e interroga a Ladina que, com toda a sua malemolência, o convence que Tuco é realmente seu filho. Laya despeja uma poção de cura goela abaixo de Tuco, que acorda preconceituoso. Após uma recepção acalorada, indaga o futuro flatulento de seu companheiros. Tuco, em seu suingue gingado e sotaque carregado, passa a narrar a estória do Mei-Dragão e sua caralhada de Kobolds. Leon é enaltecido por sua pericia em fugir da batalha e reage com indômita modéstia. Leon ruge sua desaprovação com a conduta solitária de Layla, que somente apareceu após Tuco se ferir. Layla, falsamente, assume mea culpa e ludibria Leon com seu pretenso arrependimento e decote avantajado. Layla, numa epifania, aponta que Rousseff, o Vermelho, ainda exerce influência sobre as proximidades da Universitas. “Toda ilusão possui um fundo de verdade”, concorda Leon, lembrando-se de um evento anteriormente vivenciado. Demonstrando imenso altruísmo, ela alerta para a necessidade de avisar os povoados próximos das montanhas de Kush. Roussef pode não estar tão dormente como todos pensam.

Ritual vermelho

Enquanto isso, na mina de sangue, Iodrick, Etnos, Jean, Tupã e Luthiel observam a sua magnitude imersa em pedra, notando a presença de inúmeros Anões trabalhando nos veios de minério, sendo pressionados e chicoteados por seus algozes, Kobolds e Hobgoblos. O Mei-Dragão se revela Kryst, servo de Rousseff, e dá as boas-vindas a nova casa do grupo. Kryst revela que Rousseff estava minerando para colher pedras que aumentariam o seu poder. Impaciente, ordena os Feitores que conduzam os presos as masmorras, dividindo Tupã e Etnos em uma cela, e Jean, Iodrick e Luthiel em outra, que se resguardam para dormir.

Durante a madrugada, Jean é acordado pelo som de três Hobogoblos adentrando a sala. Preferindo não chamar atenção, se mantém imóvel, mas em alerta para o que os guardas pretendem. As criaturas portam lanças e se dirigem a Luthiel, que se encontra mais perto da porta. Jean continua sem interceder e vê o Hobogoblo cutucar Luthiel com a lança como se querendo verificar que ele estivesse dormindo. Luthiel não dá sinal algum de estar acordado, então partem para Jean, o próximo. Ao cutucar Jean, ele não consegue manter o disface e percebem que estava fingindo dormir. Um dos Hobogoblos tenta agarrá-lo, mas erra. Jean rola pela cela e segue em direção à porta, mas outro Hobogoblo consegue capturá-lo. Logo, todos estão em cima de Jean, e um deles o deixa desacordado com um tacape.

Nesse interim, Tupã acorda com os berros de Jean, e exclama uma ode a Shazam, lançado uma labareda de fogo contra seus inimigos. Percebe, ao seu lado, Kryst, o Mei-Dragão, que o silencia com um encantamento de sono, fazendo-o bater fortemente no chão, tal como um trovão sobre um carvalho.

Jean acorda preso e amordaçado em uma mesa, com Kryst próximo, que diz: “Eu queria lhe poupar da dor, mas você escolheu acordar”. Kryst então exibe uma pedra rubra, com inscritos arcanos, e começa a entoar cânticos ritualísticos. Repousa a pedra sobre o peito de Jean e a enterra sobre o seu esterno, produzindo uma dor excruciante. Jean, urrando de dor, desfalece ao som das gargalhadas de Kryst.

O dia seguinte

Após uma tranquila noite de sono, Leon e Tuco acordam abraçados, cada um com sua respectiva arma. Passam a tramar com Layla o retorno à mina. Layla menciona sua curiosidade em investigar um ambiente não visitado por eles, protegido por um feitiço. Tuco longa manus descreve sua pericia em desarmar armadilhas, mas é Layla que demonstra possuir várias especialidades. Seguem do observatório em direção à casa de Theodor, quando, no caminho, Layla convida uma criatura a se revelar. Trata-se de um Goblin vitaminado, forte, com um brilhante vermelho no peito. Tuco declara conhecê-lo pelo nome de Styx, o qual declara que os demais aventureiros estão presos na mina. Styx diz era um escravo da mina, mas que fora descartado sem saber o motivo. Não conseguiu retornar, pois sempre que chegava perto, ouvia vozes assustadoras em sua mente. Styx indaga aos três acerca de mais pedras, revelando certa obsessão para saber mais sobre sua origem. Leon revela que perto da casa de Thedor existe uma bruxaria, alertando-os a tomar cuidado.

Tuco, Leon, Layla e Styx seguem para o casebre próximo à casa de Theodor, dando início á busca por armadilhas. Após investigar o local, Layla encontra uma armadilha mágica na porta do casebre. Tuco usa seu encantamento ladino para investigar a porta, constatando estar trancada. Tenta abrir a porta, descobrindo-a trancadaça, impossível de ser acessada.

Pacto pela vida

Na mina de burgúndia, Luthiel, Jean e Iodrick acordam com dores horrendas no peito. Iodrick, que entende a língua dos Goblons, ouve-os caçoando deles. Iodrick questiona os Goblins sobre os seus sorrisos soturnos, e um deles responde que a dor será muito maior quando “eles” saírem.

Após algum tempo, surge Kryst com um pelotão de Hobogoblos. O Mei-Dragão interroga os aventureiros sobre seus objetivos. Luthiel tenta ludibriar Kryst e acaba enganando a si mesmo. Ele explica que muitos outros grupos já adentraram a fortaleza, mas normalmente voltam quando percebem que ela é habitada por Goblins. Somente eles insistiram em entrar tão produndamente, arriscando a vida imensamente. Kryst supõe que eles só podem estar com a terceira chave em busca das outras. Dissimuladamente ele indaga os autores sobre a terceira chave mas Luthiel o convence que não está com eles, e que vieram apenas pelas enormes lendas dos tesouros élficos e anões. Kryst então propõe ao grupo que o sirvam, encontrando a terceira chave, a troco de suas vidas. Aponta para Jean e diz: “Ele estava acordado, conte-os o que aconteceu.” Nisso Jean explica o que viu e todos indagam o que essas pedras fazem. Kryst gargalha enquanto seus guardas põe grilhões e todos e os conduzem para dentro das masmorras, num aposento contendo elfos em estado ainda mais lastimável do que os que encontraram antes. O tórax pulsa com uma luz rubra e em pouco tempo começa a ser rasgado dentro para fora por uma mão vermelha de sangue. A mão arrebenta com o resto do peito do elfo e de lá sai uma das criaturas de lava que já tinham enfrentado anteriormente. Kryst diz que é um jogador e propõe novamente um acordo:

- “Encontrem a terceira chave e lhes pagarei com a vida. Falhem e terá sido bem divertido ver vocês tentando.”

Iodrick indaga: “Como podemos confiar em você?”, no que Kryst responde: “É, vocês realmente não tem muita escolha”, e ri mais uma vez.

Kryst revela que uma poderosa maga levou a terceira chave/pedra para seu Reino, e deseja que o grupo a recupere. Após acalorada discussão, não vêem alternativa senão concordar com a empreitada. Iodrick indaga quanto tempo ainda tem antes dos diabretes sairem, e porque os anões não sentem a mesma dor? Kryst explica que os anões são muito fortes e os diabretes demoram três anos ou mais para eclodirem de dentro deles. Roussef preferiu colocá-los para trabalhar nas minas pois aguentam trabalho pesado. Elfos e humanos são mais fracos e o tempo de incubação pode variar de algumas semanas para alguns meses, dependendo da constituição do hospedeiro. A iminência da morte coloca a todos em alerta máximo. Etnos e Tupã, mesmo sem perigo de vida, se comprometem a ajudar os companheiros a encontrar uma solução que os salve. Luthiel indaga ainda porque não usaram goblins ou kobolds para este objetivo, no que Kryst diz que eles tentaram, mas a natureza da pedra parece rejeitar eles como hospedeiro e eram sempre expelidas novamente, geralmente causando a morte da criatura. Após a explicação, e com grande resignação, todos são escoltados até o depósito da casa de Theodor onde Kryst disse que estariam seus pertences. O Mei-dragão cumpriu com sua palavra, salvo alguns itens especiais, que foram confiscados, como a flauta do terrô e os feijão.

h3. Reencontro conflituoso

Assim que o grupo sai da casa de Theodor, logo encontram os demais sobreviventes que estavam tentando entrar no anexo. Junto deles também estão Layla e Styx. Iodrick se espanta com a pedra rubra encrustada em Styx e quer saber como ela foi parar ali. Styx diz que não lembra. Só lembra de ter vivi Iodrick revela que teve uma pedra implantada em seu peito. Iodrick propõe que Layla entregue a chave para que ele, Jean e Luthiel possam viver. Layla começa a recuar e Iodrick aponta o arco para ela, ordenando que não se mova. Layla move e Iodrick dispara, acertando uma flechada fulminante em seu peito. Em seguida, Luthiel lança um encantamento que despedaça o chão em volta de Layla. Iodrick dispara uma segunda flecha e erra. Leon corre para Layla e a derruba com uma espadada rasteira. Tuco, confuso e desesperado, segue em direção ao conflito e cria uma cortina ilusória em frente aos corpos engajados, ocultando-os. Jean lança um feitiço de sono na área, mas não surte qualquer efeito. Tupã, em uma ode a Shazam, lança ventos uivantes sobre a cortina, revelando ser uma ilusão, fazendo com que Layla e Tuco voem alguns metros. Iodrick aproveita a situação para disparas outra flecha, mas erra o alvo novamente. Leon avança novamente, tentando agarrar Layla, mas passa direto. Layla aproveita o ensejo para se desengajar de Leon, fugindo em seguida. Tuco segue atrás dela… Jean avança e vê Layla. Iodrick alcança o grupo dispara outra flecha, perfurando o tronco da adversária. Layla corre até o rio descendo com extrema agilidade até a escuridão, e desaparece. Leon, Jean, Iodrick e Luthiel chegam até o precipício, mas não encontram Layla. Tuco desce o declive íngreme com agilidade. Jean tenta descer o precipício, mas escorrega e cai lá embaixo. Luthiel salta lá de cima e cai, tomando algum dano. Iodrick também pula lá de cima e segue em direção à saída. Leon tenta descer cautelosamente, mas acaba caindo. Iodrick tenta pegar o rastro de Layla, sem sucesso.

Comments

orapouso HeitorCoelho

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.